Mercado de café fica frio enquanto o clima brasileiro normaliza

Os preços futuros do café caíram desde agosto, com as condições de cultivo do grão se recuperando da seca e geada da temporada passada.

O café foi uma das commodities ‘mais quentes’ no início deste ano, mas agora esfriou, com os preços caindo mais de 20% no mês passado.

O clima úmido em áreas agrícolas como Brasil e Indonésia está aumentando a expectativa de uma boa safra e maior oferta de café, derrubando os preços. Ao mesmo tempo, o dólar forte este ano pressionou os preços de muitas commodities.

Os contratos futuros do café arábico caíram 22% no mês passado. Em outubro, os contratos futuros de café caíram por 13 pregões consecutivos, a maior sequência de perdas em nove anos. Os grãos robustos mais baratos caíram 15% no mesmo período. 

O declínio é uma reversão forte. Os contratos futuros de café saltaram para uma alta de 11 anos de US$ 2,58 a libra em fevereiro. Isso ocorreu depois que as safras no Brasil foram prejudicadas pela seca e pela geada. Os preços abrandaram, mas voltaram a subir no final de agosto. Agora caíram cerca de 30% desde então. O contrato da arábica mais ativo caiu 0,5% na sexta-feira, para US$ 1,70 por libra-peso.

Embora seja no início da temporada de cultivo de café, o clima no Brasil até agora tem sido muito mais amigável para os agricultores. Segundo dados compilados pelo StoneX Group, a precipitação nas áreas cafeeiras brasileiras superou as médias sazonais nos últimos 45 dias.

“No ano passado, tivemos um ano difícil, este ano está normalizado”, disse Albert Chu. Ele é analista sênior de pesquisa da Newton Investment Management, uma empresa de pesquisa associada ao BNY Mellon Corp.

Espera-se que o clima úmido continue, pois o Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA projeta que um sistema climático La Niña continuará em 2023. Suas últimas perspectivas dão ao La Niña uma chance de 75% de persistir durante o inverno. 

O dólar, por sua vez, permanece em alta durante o ano. Entretanto, houve um duro recuo na quinta-feira, depois que novos dados mostraram a desaceleração da inflação. As commodities tendem a ser precificadas em dólares. Portanto, um dólar forte as torna mais caras para compradores em todo o mundo.

A demanda por café aumentou durante a pandemia de Covid-19 quando as pessoas ficaram em casa, assim como os preços do café. Então parte da recente queda de preços reflete um retorno ao normal.

Mas os consumidores de café não devem esperar uma queda repentina no preço de seu café matinal. Os preços futuros podem demorar um pouco para chegar aos preços de varejo, se o fizerem. Além disso, muitos amantes da cafeína parecem não querer largar o hábito do café, não importa o preço.A Starbucks Corp, divulgou este mês receita em seu último trimestre acima das expectativas dos analistas consultados pela FactSet. As vendas nas mesmas lojas estão 7% acima do ano anterior. Já a Nestlé SA disse no mês passado que sua divisão que lida com café cresceu 8% organicamente no terceiro trimestre. Esse resultado se deve graças em grande parte às vendas sob sua marca Nescafé.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques