Elliott Management vê o mundo caminhando para a sua pior crise desde a Segunda Guerra Mundial

A Elliott Management, um dos maiores fundos de hedge global, alertou para um cenário de possível hiperinflação que pode levar o mundo para a sua pior crise desde a Segunda Guerra Mundial.

A Elliott Management, um dos maiores fundos de hedge do mundo, emitiu um alerta assustador sobre os mercados e a economia. Disse que o mundo pode estar caminhando para sua pior crise desde a Segunda Guerra Mundial.

Uma extraordinária confluência de extremos e problemas tornou possível um conjunto de resultados que estariam nos limites. Ou até mesmo, além dos limites de todo o período pós-Segunda Guerra Mundial.

Os investidores não devem presumir que ‘viram tudo’ por causa da experiência do mercado em baixa de 1973 a 1974 e do embargo do petróleo, o crash de 1987, o crash das ‘pontocom’ ou o GFC de 2007 a 2008.”, disse Elliott em sua última carta aos investidores, obtida pela CNBC.

O fundo hedge, com US$ 56 bilhões em ativos sob gestão, disse que o Fed está pressionado em meio a uma economia em dificuldades.

Isto pode causar uma recessão e, por sua vez, estimular ainda mais o estímulo fiscal. “Esse círculo vicioso corre o risco de um longo período de aceleração das pressões sobre os preços”, disse Elliott, fundada pelo bilionário Paul Elliott Singer.

Crise inflacionária

“O mundo está no caminho da hiperinflação, que é o caminho direto para o colapso da sociedade global e conflitos civis ou internacionais. Não é certo, mas esse é o caminho que estamos trilhando”, disse Elliott.

As ações tiveram um grande retorno no mês passado com o S&P 500. Subiram quase 8% e o blue-chip Dow Jones Industrial Average registrando seu melhor mês desde 1976.

Mas o S&P 500 já caiu 4,6% nesta semana até quinta-feira, quando o Fed elevou as taxas de juros pela sexta vez este ano, elevando a perda do índice de referência em 2022 para quase 22%.

“A situação atual contém tantas possibilidades assustadoras e seriamente negativas que é difícil evitar a conclusão de que um desenrolar seriamente adverso da bolha de tudo, que está prestes a estourar”, disse Elliott na carta.

O Fed aprovou na quarta-feira um quarto aumento consecutivo da taxa de juros de três quartos de ponto. Isso leva a taxa de juros de curto prazo ao nível mais alto desde janeiro de 2008.

Elliott disse que as fortes perdas nos preços dos ativos este ano simplesmente não são suficientes para refletir com precisão a “confusão atual” e o ambiente “extremamente desafiador” em que a economia global se encontra, devido aos “graves erros nas políticas públicas”.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques