HSBC cortará custos agressivamente

"na redução radical de seus custos para fechar a enorme lacuna de relação custo-benefício" entre o HSBC e seus pares, a seguradora chinesa disse sexta-feira em um comunicado.

A Ping An Insurance pediu para o HSBC ser mais agressivo “na redução radical de seus custos para fechar a enorme lacuna de relação custo-benefício”, entre o HSBC e seus pares.

As ações do HSBC ( HSBC ) subiram 4,2% nas negociações de pré-mercado dos EUA.

O acionista do HSBC disse que a relação custo-benefício do banco, de 64,2%, é 13% superior à média de um grupo de pares equivalente. A relação custo-benefício do HSBC Ásia é de 58,7%, 18 pp superior à média de 40%, destacou.

Especificamente, a empresa acredita que o HSBC deve reduzir os custos operacionais.

“Esta é a ação mais importante, urgente e absolutamente necessária, para o HSBC melhorar o desempenho de seus negócios. O banco deve reduzir os custos e aumentar a eficiência, principalmente em meio à desaceleração do crescimento do setor financeiro global”, disse Ping An.

O acionista também pede que o HSBC destine seus recursos globais de forma mais eficaz. O HSBC Ásia contribuiu com 68,7% do lucro total antes dos impostos no primeiro semestre de 2022.

“Sugerimos que o HSBC revise sua estratégia global de alocação de recursos, realoque mais recursos para a Ásia. Assim, vão conseguir obter um maior retorno e sair do mercado periférico de subescala.”

Em junho, o Sunday Times do Reino Unido, informou que a Ping An encomendou uma pesquisa. Nela, foi descoberto que o HSBC poderia gerar um acréscimo de $26,5 bilhões.

Nosso portal possui diversas informações sobre o HSBC. Para saber mais, é só clicar aqui!

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques