Barril de petróleo só chegará a US$ 120 se houver problemas no fornecimento

Um ressurgimento da demanda chinesa não será suficiente para um aumento acentuado nos preços do petróleo, de acordo com o chefe global de pesquisa de commodities do Citigroup.

A Citigroup afirmou que um ressurgimento da demanda chinesa não será suficiente para aumentar os preços do petróleo.

As políticas de COVID da China mantiveram os preços do petróleo sob controle. Mas, Ed Morse afirmou que, ao invés da demanda, os preços do petróleo seguirão os sinais de oferta.

“O petróleo só voltará a 120 dólares caso ocorram interrupções no fornecimento de lugares como Líbia, Nigéria e talvez até Irã e Iraque”, disse ele.

Na quarta-feira, os preços do petróleo Brent subiram 1,4%, indo para US$ 96,01 por barril. O West Texas Intermediate subiu 1,7%, para US$ 89,90.

Morse afirmou que um aumento na demanda por petróleo da China afetará o mercado. Enquanto isso, a Opep+ está estabelecendo um piso nos preços.

Por outro lado, as importações de petróleo russo na China aumentaram em 2 milhões de barris por dia. Porém, desde a reunião da Opep+, os preços do petróleo não estão “ indo a lugar nenhum”, disse Morse.

“Acho que há ampla oferta no mercado para que não tenhamos um grande impacto da volta da China”, disse ele.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques