BlackRock diz que rendimentos dos títulos não atingiram o pico

Rick Rieder, da BlackRock, disse que os rendimentos dos títulos ainda não atingiram seu pico e continua achando as altas taxas disponíveis em títulos de curta duração e ativos securitizados muito atraentes.

Rick Rieder, da BlackRock, disse que os rendimentos dos títulos ainda não atingiram seu pico. Ele acha as altas taxas, disponíveis em títulos de curta duração e ativos securitizados, muito atraentes.

“Estamos obtendo 6%, 6,5% e cerca de 7%. Acho inacreditável para renda fixa, não correr muito risco de taxa de juros, não correr muito risco de crédito e obter esse tipo de rendimento. É o Nirvana”, afirmou.

Rieder também disse que vê os títulos do Tesouro mais atraentes em duas décadas. Eles estão rendendo cerca de 4,13%. “T-bills tornaram-se realmente sexy. Eu os amo. Eles são líquidos. O rendimento é ótimo”, disse. Rieder os usa em sua conta pessoal. “Há 20 anos não fico tão empolgado com as notas do Tesouro.”

Rieder discutiu suas opiniões sobre o atual clima de investimento e o que ele acha que o Federal Reserve fará.

Rieder disse que espera que o banco central aumente as taxas de juros em 75 pontos base na quarta-feira, mas depois reduza o tamanho dos aumentos até dezembro. Espera-se que o Fed finalmente pare os aumentos das taxas até a primavera do próximo ano. Mas, Rieder não prevê um corte de juros, como alguns mercados esperam, até o final do próximo ano.

Ele também espera que o presidente do Fed, Jerome Powell, soe um pouco agressivo durante sua entrevista coletiva na quarta-feira. “Acho que ele tem que definir ‘a inflação é nosso objetivo’… Acho que ele tem que ser agressivo quanto a isso. Se ele piscar, as condições financeiras diminuem muito. Essa não é a direção que eles querem seguir.”

Rieder disse que Powell tentará não causar um aumento nas ações, como o rali da semana passada.

“Os técnicos no mercado de ações são extraordinários”, disse ele. Como outros bancos centrais não subiram tanto quanto o esperado, os investidores esperam uma mudança do Fed e “isso não é verdade”, disse ele.

Rieder disse que gosta muito mais de títulos corporativos do que de imóveis. “Gosto muito mais do mercado de crédito do que do mercado securitizado hoje em dia”, disse ele. “É totalmente diferente dos últimos dois anos. Eu prefiro ficar no crédito. As empresas estão bem”.

Rieder disse que espera mais vendas no mercado do Tesouro e que as taxas reais permaneçam altas.

“Minha percepção é que as taxas estão mais próximas das máximas, disse ele. “Mas eu não acho que você poderia escrever isso em pedra.”

Rieder disse que a inflação não deve ser subestimada, e é mais persistente devido ao crescimento explosivo após a pandemia, bem como à escassez de trabalhadores.

“A rigidez dessa inflação é extraordinária… acho que a inflação está caindo”, disse ele.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques