Empresas de tecnologia e comunicação são o novo setor defensivo de acordo com o Bank of America.

Os investidores estão adquirindo ações de empresas de tecnologia e comunicação, e a rotação sugere que os investidores veem incorretamente esses setores como defensivos, disse o Bank of America.

Os investidores estão adquirindo ações de empresas de tecnologia e comunicação, a mudança mostra investidores veem esses setores como defensivos, disse o Bank of America.

Em nota na terça-feira, analistas disseram que US$ 1,1 bilhão em vendas de ações dos EUA na semana passada marcaram a primeira vez em oito semanas que os clientes venderam ações dos EUA. As vendas foram lideradas por instituições e clientes particulares.

As vendas ocorreram em todos os setores rastreados pelo S&P 500, exceto em tecnologia e serviços de comunicação. Esses dois grupos registraram entradas nas últimas seis e nove semanas, respectivamente.

Nos últimos dois meses, os investidores saíram de setores cíclicos para setores defensivos, e os fluxos de entrada em serviços de tecnologia e comunicação aumentaram.

“Mas vemos o risco de que ‘Tech’ não seja tão defensivo quanto alguns investidores percebem, com os fundamentos enfraquecendo e as taxas de juros continuando a subir”, escreveu Jill Carey Hall, estrategista de ações e quant do BofA.

Muitos investidores estão olhando para a tecnologia como o novo setor defensivo, principalmente após o o COVID, seus ganhos cresceram apesar da recessão da pandemia.

Mas os ganhos de consenso deste ano para o índice Nasdaq 100, rico em tecnologia, estão abaixo dos ganhos do S&P 500 nos últimos 12 meses, disse. Além disso, as empresas de tecnologia de mega capitalização não estão imunes a crises econômicas e estão “enfrentando os maiores desafios em meio à desglobalização”, disse o BofA em nota publicada na terça-feira passada.

A temporada de lucros do terceiro trimestre para a Big Tech foi em grande parte uma decepção: com a Alphabet, controladora do Google, registrando uma queda de 27% no lucro e a controladora do Facebook, Meta, perdendo as expectativas de ganhos e oferecendo uma perspectiva baixa para o quarto trimestre.

Na semana passada, o BofA destacou comentários de demanda pessimista de empresas de tecnologia. A Alphabet disse que viu um “recuo” nos gastos do terceiro trimestre de alguns anunciantes em determinadas áreas em anúncios de busca.

O Federal Reserve na quarta-feira provavelmente aumentará as taxas de juros pela sexta vez este ano, com expectativas de outro aumento de 75 pontos base para combater a inflação. Taxas de juros mais altas podem reduzir o valor dos lucros futuros obtidos por empresas de tecnologia e outras empresas em crescimento.

O S&P 500 na semana passada conseguiu subir quase 4%. O setor de tecnologia da informação cresceu cerca de 6% no mês passado, mas continua em queda de 27% no acumulado do ano. O grupo de serviços de comunicações perdeu cerca de 39% este ano.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques