Ações de Hong Kong caem para mínima de 14 anos com a reeleição de Xi Jinping

As ações de Hong Kong despencaram na segunda-feira para atingir o menor nível em 14 anos, com a consolidação de seu poder pelo presidente Xi Jinping provocando temores sobre as perspectivas de recuperação da economia chinesa.

As ações de Hong Kong despencaram na segunda-feira ao atingir o menor nível em 14 anos. Com a consolidação de seu poder de presidente, Xi Jinping provoca temores sobre as perspectivas de recuperação da economia chinesa.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 6,82%, sendo negociado perto dos níveis vistos pela última vez em 2008. As ações da gigante de tecnologia chinesa Alibaba afundaram 12% em Hong Kong, enquanto a Tencent caiu 11%, puxando o índice Hang Seng Tech mais de 10%.

A venda ocorreu depois que Xi garantiu um terceiro mandato sem precedentes como chefe do Partido Comunista no domingo e encheu sua equipe principal de lideranças leais. Isso pode sinalizar um controle mais apertado na direção da segunda maior economia do mundo, disseram analistas.

“A nova liderança indica mais concentração nos principais procedimentos de tomada de decisão”, escreveram analistas do Bank of America em um relatório da segunda-feira, segundo o Nikkei. “Alguns investidores se preocupam com a falta de freios e contrapesos, e o risco de possíveis erros de política evoluirem para grandes choques na economia.”

Dados oficiais divulgados na segunda-feira mostraram que o produto interno bruto da China aumentou 3,9% no terceiro trimestre de 2022 em relação ao ano anterior. Isso superou o ritmo de 3,4% esperado em uma pesquisa da Reuters. Porém, não foi o suficiente para dar um impulso aos investidores preocupados com o impacto das políticas de COVID-zero na economia.

Outros dados de setembro mostraram que as exportações cresceram 5,7% em relação ao ano anterior, o ritmo mais lento desde abril de 2014. O desemprego subiu para 5,5% e as vendas no varejo cresceram 2,5%, ambos desacelerando em relação a agosto.

“Esse conjunto de dados envia uma mensagem importante de que, mesmo [que] as medidas de COVID se tornem mais flexíveis, pois depende do número de casos de Covid, os bloqueios ainda são uma grande incerteza para a economia, com o pano de fundo da crise imobiliária ”, afirma Iris Pang, economista-chefe do ING para a Grande China.

As ações de Hong Kong ficaram sob pressão este ano, à medida que as relações entre a China e os EUA esfriaram. O governo Biden introduziu medidas que ameaçam prejudicar a indústria de tecnologia da China.

O presidente Jinping pediu a regulamentação do “mecanismo de acumulação de riqueza” em um relatório ao Congresso, um sinal de supervisão intensificada do capital privado, segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques