Preços do mercado imobiliário podem cair 20% no próximo ano

O colapso do mercado imobiliário ainda não encontrou um fim, levando os preços das casas para uma queda acentuada no próximo ano, de acordo com a Pantheon Macroeconomics.

O colapso do mercado imobiliário ainda está longe de acabar, os preços das casas tendem uma queda acentuada no próximo ano, de acordo com a Pantheon Macroeconomics.

O alerta veio depois que as vendas de casas existentes caíram pelo oitavo mês consecutivo, a maior queda desde 2007.

“Oito quedas consecutivas nas vendas e nenhuma parada à vista”, escreveu o economista-chefe da Pantheon, Ian Shepherdson, em nota na quinta-feira.

Ele acrescentou que a queda acumulada nas vendas desde o pico de janeiro agora é de 27%, “mas este não é o fim”. Shepherdson também observou que, como as taxas de hipoteca subiram para quase 7%, o que diminuiu a demanda por empréstimos, o resultado será um declínio contínuo nas vendas de casas até o início de 2023.

“A essa altura, as vendas terão caído para o nível mínimo incompressível, onde as únicas pessoas que mudam de casa são aquelas que não têm escolha devido a circunstâncias de trabalho ou familiares”, previu. “Os compradores discricionários estão desaparecendo rapidamente em face do aumento de quase 400bp nas taxas no ano passado.”

Baixa procura

Enquanto isso, os preços das casas existentes caíram sequencialmente por três meses consecutivos, elevando o preço médio para US$ 384.800 – o menor desde março.

Mas com as taxas de hipoteca subindo, mesmo os compradores em potencial que desejam fazer o downgrade para uma casa mais barata enfrentarão pagamentos mensais maiores. Segundo Shepherdson, isso é mais incentivo para permanecer no local, restringindo ainda mais a oferta.

“Mas os preços têm que cair substancialmente para restaurar o equilíbrio; a curva de oferta de habitação não é plana, então a queda na demanda fará com que os preços caiam”, disse ele. “Esperamos uma queda de 15 a 20% no próximo ano, a fim de restaurar a relação preço-renda pré-Covid.”

Diante a perspectiva negativa, o professor da Wharton Jeremy Siegel, disse na semana passada os preços das casas terão o segundo pior declínio desde a Segunda Guerra Mundial em meio a aumentos agressivos de juros do Fed.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias