Saudi Aramco diz que o mundo está interpretando totalmente mal o mercado de petróleo e muito focado em ‘economia de curto prazo’

O mundo interpreta mal o mercado de petróleo por se preocupar demais com uma possível recessão no futuro próximo, segundo o CEO da Saudi Aramco, Amin Nasser.

Os preços atuais do petróleo indicam um foco na “economia de curto prazo, em vez dos fundamentos da oferta”, disse ele ao Fórum de Inteligência Energética em Londres na terça-feira.

O petróleo Brent caiu de US$ 139 o barril no início deste ano para cerca de US$ 90 agora, mas subiu nos últimos dias em antecipação a um corte de produção da Opep +.

A oferta global pode sofrer outro abalo quando a União Europeia proibir as importações marítimas de petróleo russo em dezembro, deixando outros produtores de petróleo com pouca capacidade ociosa para compensar a falta.

Temendo que a produção russa caia drasticamente após a próxima rodada de sanções, a Arábia Saudita quer manter capacidade adicional em reserva, disseram fontes ao Financial Times .

Por enquanto, a capacidade ociosa é muito baixa e pode ser eliminada assim que a China aliviar suas políticas de zero COVID, disse Nasser ao fórum na terça-feira, ecoando um aviso semelhante que ele fez em setembro .

“Se a China se abrir, a economia começar a melhorar ou a indústria da aviação começar a pedir mais combustível de aviação, você vai corroer essa capacidade ociosa”, disse ele. “E quando você erodir essa capacidade ociosa, o mundo deve ficar preocupado. Não haverá espaço para qualquer soluço – qualquer interrupção, quaisquer eventos imprevistos em qualquer lugar do mundo.”

A Saudi Aramco, a maior empresa de petróleo do mundo, é uma das únicas produtoras que continuam investindo no aumento da capacidade, mas Nasser alertou que o investimento contínuo não estimulará um aumento imediato na produção, pois o processo pode levar anos.

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques