Por que Art Cashin do UBS não gosta do raly de 2 dias monstruoso do mercado

Art Cashin, diretor de operações de pregão do UBS, está cauteloso com a alta de dois dias das ações que decolou no início da semana.

“O rali foi muito impressionante, infelizmente não fiquei feliz com a faísca que o iniciou, aquela rotina de risco de evento”, disse ele no “Squawk on the Street” da CNBC na quarta-feira.

Cashin vê o rali como iniciado pela decisão do Banco da Inglaterra de acabar com a venda de títulos e começar a comprar temporariamente títulos de longo prazo para acalmar um possível colapso do mercado causado pelo novo orçamento do governo. Mais tarde, o governo teve que reverter seus planos de reduzir sua alíquota máxima de imposto de renda.

Além disso, a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento alertou recentemente os bancos centrais que os aumentos contínuos das taxas de juros podem prejudicar a economia global.

“Parte do movimento que vimos, e é realmente um ótimo rali de dois dias, é que as pessoas estão assumindo que o Fed e outros bancos centrais podem fazer uma pausa”, disse Cashin.

Em seguida, Cashin estará atento à temporada de ganhos, que começará novamente em breve. Até lá, ele vai ficar de olho para ver se há descontos nas estimativas.

Ele também está impressionado com algumas outras coisas no mercado, como os rendimentos dos títulos protegidos pela inflação do Tesouro, que parecem mostrar que a inflação está caindo e pode até estar perto da meta de 2% do Federal Reserve.

“Uma andorinha só não faz verão, mas fique de olho no rendimento do TIPS aqui”, disse ele.

Se a inflação continuar caindo, isso pode levar o Fed a interromper seus aumentos de juros e refletir, acrescentou Cashin.

“Nós não queremos vê-los realmente se virarem”, disse ele. “Só queremos vê-los fazer uma pausa e refletir.”

Para receber mais conteúdos como este, se inscreva no nosso Canal do Telegram.

Últimas notícias

Destaques