Exportações antecipadas da Coreia aumentam em meio ao enfraquecimento da demanda global

Exportações antecipadas da Coreia aumentam em meio ao enfraquecimento da demanda global
  • Os ventos contrários às exportações continuam fortes; déficits comerciais persistem
  • Declínio dos embarques para a China liderou a queda nas exportações principais

Os primeiros dados comerciais da Coreia do Sul mostraram que as exportações ainda estão crescendo em setembro, em um sinal das consequências dos bloqueios na China e de uma economia global em dificuldades.

Os embarques diários avançaram 1,8% em média nos primeiros 20 dias do mês em comparação com o ano anterior, informou a alfândega na quarta-feira. As exportações principais caíram 8,7%, lideradas por uma queda de 14% nos embarques para a China. As vendas de semicondutores ainda aumentaram 3,4%.

Déficits
A Coreia continua a registrar déficits comerciais, pressionando os ganhos

Fonte: Ministério do Comércio, Alfândega

As exportações desaceleraram nos últimos meses, à medida que a demanda internacional enfraquece em resposta à guerra da Rússia na Ucrânia, surtos de Covid na China e rápido aperto de políticas pelos bancos centrais. O Banco da Coréia tem contado com vendas resilientes no exterior para sustentar sua política de aperto, à medida que busca conter a inflação.

Os déficits comerciais são outra preocupação, já que os preços da energia permanecem elevados e a moeda enfraquece para pairar em torno dos níveis vistos pela última vez durante a crise financeira global.

O déficit comercial totalizou US$ 4,1 bilhões até agora este mês. Embora seja metade do recorde de US$ 9,5 bilhões para todo o mês de agosto, o ministro das Finanças, Choo Kyung-ho, disse que os riscos para as exportações continuam à medida que a demanda por chips esfria e a economia desacelera na China, enquanto a volatilidade nos preços da energia permanece elevada.

As exportações coreanas tendem a refletir as tendências da atividade econômica internacional com as empresas do país amplamente inseridas nas cadeias de suprimentos globais, incluindo fabricantes de semicondutores e automóveis.

Os produtos de tecnologia, que respondem por um terço das exportações coreanas, foram os primeiros a esfriar à medida que a demanda global diminuiu. Eles caíram 4,6% no mês passado, com semicondutores, smartphones e computadores em queda.

Leia também